"A gente corre o risco de chorar um pouco,
quando se deixou cativar..."
O Principezinho
Antoine de Saint-ExupŽry

De meu nome...

Num tempo, passado, presente, futuro, cada indiv’duo, pessoa, foi, Ž, e ser‡, o resultado dos seus sonhos e das suas ideias.rnA express‹o pœblica do nosso percurso existencial, tem consigo a exigncia de verdade œltima e da humilde escrita, da realidade vivida - traduzida pelo car‡cter e personalidade individuais.

Existimos de traos fornecidos pela hereditariedade e acultura‹o e socializa‹o constante. Somos o resultado do que idealizamos e, do que somos, agindo - atravŽs do treino daquelas capacidades e qualidades, t‹o individuais e œnicas, mas comuns a todos os seres humanos. Tornamo-nos socialmente participantes e œteis, pelo aprovado mŽrito de uma profiss‹o ou pelo (re)conhecimento da arte manifesta.

Toda a pessoa Ž o seu tempo, vivido (n‹o)escrito, justamente entendida numa rede / constru‹o, de rela›es inter-humanas e inter-materializ‡veis - do trabalho ˆ arte. Demarca-se e marca. Integra-se e integra. Define-se e define. ƒ neste registo poss’vel, que me apresento - a ideia de um n—s, de um eu, a mim pertence. Aceita-se! Ou n‹o!

JosŽ Maria
© 2008 JOSEMARIA.net - Todos os direitos reservados.
Todos os conteœdos e trabalho gr‡fico apresentado, est‹o registados e protegidos por leis de propriedade intelectual.
Design: MIGUEL OLIVEIRA
Ilustra‹o: Benedita Kendall